+



1 2 3 4 5
Eu não durmo tarde, o mundo é que dorme cedo.

"Desculpa se eu cheguei tarde demais. Eu andei tentando me encontrar em qualquer palavra, para depois poder entender as suas. Eu andei conhecendo outras constelações para te mostrar o céu que nessa noite não chora, mas sente a nossa existência com uma dor aguda. Eu procurei um vinho melhor para que a gente beba junto e para que sem mais nem menos, eu sinta uma vontade inacessível de cantar Chico com você, de fazer do nosso instante o nosso melhor dueto. Desculpa se eu te ceguei com a minha falta de brilho, com a minha falta de jeito. Eu sempre tentei te mostrar a real intenção da vida sobre nós, mas você fechava os olhos como quem fecha a gaveta onde ficam as tuas melhores poesias. Eu nunca fui a tua melhor opção para um sábado a noite, mas sempre estive aqui no domingo por você, te esperando pra cuidar das tuas dores, pra te fazer rir com qualquer palavra engraçada no meio de uma sentença, porque você ri do desconhecido. Desculpa se a noite já passou, se agora não dá mais pra ver a lua da tua janela, se o teu café amargo esfriou, se nós já enjoamos de todas as músicas deste cd, de todas as conversas e de todas as palavras engraçadas. Desculpa se já é o começo da segunda, da semana, mas ainda não é o fim da nossa vida. Desculpa se eu cheguei tarde demais e não trouxe comigo a minha melhor vida. Mas quero que lembre que cheguei apesar de tudo, com nada, cheia de medos e ilusões, cheia de um vazio que não preenche com você. Petit, eu cheguei."
— Arcádico  (via incolumo)


"Encontrar alguém bonitinho, pra namorar, ficar, curtir, sair, é fácil. Difícil é encontrar alguém que te aceite. Que aceite teus problemas, teus dias ruins, teus defeitos e mesmo assim queira ficar com você, pra te ajudar a resolver, superar, te amar e te tratar como única, é raro encontrar pessoas assim. Eu sei, são poucas, mas ainda existem."
Sorry, but I love you.  (via apenasumadolescente)

"Estranho como a gente muda de humor por causa de uma pessoa."
Renato Russo.         (via aliterando)



"Do outro lado da rua havia uma loja de discos. O alto-falante tocava música pra mim. Tudo parecia tão calmo e tranquilo lá fora. Ficava ali parado, de pé, tentando lembrar o que poderia ter feito. Sentia vontade de chorar, mas não saía lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. Acho que você sabe o que quero dizer. Todo mundo, volta e meia, passa por isso. Só que comigo é muito frequente, acontece demais."
Charles Bukowski.  (via desfrutar-se)

"Se eu pudesse contar as lágrimas que chorei na véspera e na manhã, somaria mais que todas as vertidas desde Adão e Eva. Entretanto, se eu me ativer só à lembrança da sensação, não fico longe da verdade. Realmente, por mais preparado que estivesse, padeci muito. Sofria com alma e coração; demais."
Dom Casmurro.  (via desfrutar-se)

"Não tenho paciência pra gente fresca, cheia de “mínimo” e não-me-toque. Não sei lidar com gente crítica ao extremo. Dias quentes demais me deixam estressada. Gosto do frio. Pseudo revoluções e modinhas me irritam. Não gosto de gente que reclama de tudo o tempo todo. Gente manipuladora. Que usa as lagrimas como argumento. Não gosto de gente que força amizade. Não gosto do flamengo. Gente lerda é chata. Detesto quando confundem sinceridade com grosseria. Não gosto do fato de ter fracassado em algumas áreas, e ter dores no coração que insistem em latejar. Não gosto quando amassam meus livros. Odeio bater o dedo na quina dos móveis. Não gosto das minhas cicatrizes. Odeio ter tanto medo do futuro. Sou chata e seletiva. Não curto gente dramática. Odeio física e química. Não gosto de quase nada, mas gostei tanto de você."
— A menina e o violão.  (via incolumo)

Theme ©